Carlos Prazeres

Oboés

Regente Assistente

Carlos Prazeres é um dos mais requisitados maestros brasileiros de sua geração.

 

Regente titular da Orquestra Sinfônica da Bahia, Prazeres é também o regente assistente da Orquestra Petrobras Sinfônica (OPES) no Rio de Janeiro desde 2005. Tem dividido o palco com artistas como Antonio Meneses, Rosana Lamosa, Ilya Kaler, Fábio Zanon, Augustin Dumay, Wagner Tiso, João Bosco, Ivan Lins, Stanley Jordan, Milton Nascimento, entre outros.
Como maestro convidado, Carlos Prazeres tem dirigido importantes conjuntos sinfônicos, tais como a Orchestre National des Pays de la Loire na França, orquestra Cherubini e Orquestra Internacional do Festival de Riva del Garda na Itália, Youth Orchestra of the Americas, Junge Philharmonie Salzburg, Filarmônica de Buenos Aires, Filarmônica de Montevideo, Filarmônica de Bogotá, Sinfônica de Porto Alegre (OSPA), Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro em Brasília, Sinfônica da Bahia, OSUSP, Orquestra Amazonas Filarmônica, Sinfônica de Campinas, Jazz Sinfônica de São Paulo e a Orquestra do Festival de Música de Santa Catarina (FEMUSC).
Prazeres graduou-se em oboé na UNI-Rio e foi bolsista da Fundação VITAE durante seus estudos de pós-graduação na Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim/Fundação Karajan.
Desempenhou as funções de oboísta solista junto à Barock Orchester Berlim, Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra Sinfônica Brasileira e Orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Patrocinadores

Mantenedora

Apoio Institucional

Patrocínio

Transporte Oficial

Transporte Aéreo Oficial